home

Drogas usadas por Wiggins deveriam ser banidas, diz ex-ciclista condenado por doping

David Millar, agora ativista por um ciclismo livre das drogas, afirma que medicamento elimina 2km em uma semana


20 SET, 2016     Gustavo Figueiredo    



David Millar, ex-ciclista condenado por doping em 2004 e que desde então faz campanha por um ciclismo livre das drogas, afirmou que o medicamento utilizadas por Bradley Wiggins com Exceção de Uso Terapêutico (TUE) deveria ser banida durante competições. Além disso, ele afirma que os registros das TUEs deveriam ser abertas ao público.

imagem

Segundo o vazamento de dados sigilosos do atleta, Wiggins teria tomado diversas injeções de triamcinolona para tratar sua asma antes do Tour de France em 2011 e em 2012, além do Giro em 2013.

Em um depoimento, o ex-ciclista afirma que o efeito da triamcinolona é até mais acentuado do que outras substâncias famosas pelo ganho de desempenho. "Como disse em meu livro, já tomei testosterona e EPO e elas fazem uma diferença grande no seu corpo. Porém, a triamcinolona é a única que você toma e vê a diferença em três dias", afirmou.

Segundo ele, ao tomar o medicamente, houve uma perda de peso de 2kg em uma semana com um ganho de potência. Porém, o remédio é tão forte que ele precisou tomar calmantes para dormir. Para completar, Millar afirma que o uso da triamcinolona não é justificável, já que existem tratamentos mais leves.

"Nós atletas não deveríamos enfrentar isso. É muito forte e nós não deveríamos nem poder tomar isso a não ser que estivéssemos extremamente doentes. Porém, se você está muito doente não deveria estar competindo. Não sei por que um médico receitaria isso antes de uma corrida", completou.


Comentários



Relacionados