Dicas para evitar furos no pneu da bicicletas de asfalto


17 JUN, 2016     Gustavo Figuereido     1    



Mesmo andando somente no asfalto, os furos em pneus de bicicletas de transporte urbano e estrada são praticamente inevitáveis. Afinal, ruas e rodovias estão sujeitas a todo tipo se sujeira e detritos que podem facilmente atravessar um pneu.

imagem
Nada mais chato do que um pneu furado

Em uma bicicleta urbana, a própria construção mais robusta do pneu ajuda a prevenir furos. Porém, se você utiliza uma estradeira com pneus de desempenho mais elevado, as chances de sofrer uma perfuração na câmara aumentam consideravelmente. Em ambos os casos existem algumas dicas que podem ajudar a reduzir a frequência deste acontecimento tão desagradável.

Evite os cantos

Mesmo sendo impossível evitar todos os detritos, evitar alguns locais de risco como sarjetas e cantos da pista reduzem bastante a ocorrência de furos. Lembre-se que o fluxo de veículos joga a sujeira para as laterais da pista e que guias ou muretas evitam que ela se disperse.

Se estiver na estrada, fique atento para pontes sem acostamento ou locais onde a mureta está muito próximo da pista de rodagem. Pontos como este não só são perigosos de passar mas também são extremamente propensos a furos. Na cidade, o mesmo vale para a sarjeta. Via de regra, quanto mais perto do canto, mais suja é a pista.

imagem
Evite passar muito próximo do muro

Cuidado com a água

Andar em locais molhados aumenta a quantidade de furos já que a água funciona como lubrificante, facilitando a penetração de objetos pontiagudos nos pneus. Além disso, poças de água podem esconder buracos que causam a temida "mordida de cobra" nas câmaras. Por isso, a não ser que seja realmente necessário, evite sair na chuva. Afinal, além de aumentar bastante o desgaste de todo o equipamento ela ainda aumenta suas chances de furos e tombos.

Diferentes Pneus


Como você deve ter percebido, existem inúmeros modelos de pneu, cada com com uma característica diferente. Alguns são mais pesados e resistentes, outros mais leves e velozes. Porém, além do peso, camadas extra de proteção contra furos também aumentam o atrito interno do pneu, o que resulta em uma maior resistência a rolagem e menos facilidade em se manter a velocidade.

imagem
Mais camadas, mais peso, menos furos. Foto: Continental

Para o transporte urbano, o ideal é apostar em modelos com grande resistência a furos. Para treinar na estrada, muitas vezes a tranquilidade de não furar compensa uma pequena redução na velocidade. Porém, diferente da cidade, convém escolher um modelo que oferece um desempenho razoável mesmo que seja só para treinar, já que pneus ultra-resistentes também costumam ser duros, desconfortáveis e lentos. Deixe os pneus ultra leves de altíssimo desempenho apenas para provas.

Câmaras de ar

Assim como acontece com os pneus, existem muito tipos diferentes de câmaras de ar. Teoricamente, as câmaras de latex flexionam ao redor de um objeto pontiagudo, oferecendo mais resistência aos furos. Porém, utilizá-las significa ter que calibrar os pneus quase todos os dias já que elas perdem pressão mais rápido.

As mais comuns são as de butil, porém existem diferentes espessuras e materiais. Normalmente a parede das câmaras tem cerca de 1mm de espessura mas podem chegar a ter apenas 0,6mm nos modelos super-leves. Vale lembrar que algumas marcas são melhores do que outras. As mais baratas compradas em lojas com diversos departamentos de esportes são mais baratas, porém são incrivelmente suscetíveis a furos.

A paradinha

Essa dica vale tanto para a cidade quanto para a estrada. Sempre que puder, dê uma olhada nos pneus. Seu amigo parou para tirar água do joelho ou reparar um furo? Aproveite para verificar se não existe nenhum objeto perfurante preso nos seus pneus. Passou ao lado de uma obra ou em cacos de vidro na cidade? Aproveite o farol vermelho e verifique se nada ficou grudado.

Calibragem e volume de ar

imagem
A mordida de cobra causada por buracos grandes

Pneus vazios e buracos são a receita perfeita para sofrer uma "mordida de cobra", que acontece quando a câmara é prensada entre o aro e o pneu, o que deixa um furo de cada lado. Por isso, mantenha os pneus sempre bem calibrados com a pressão recomendada pelo fabricante - não confundir com a pressão máxima estampada na lateral do pneu.

Outra possibilidade é aumentar o tamanho dos pneus, o que pode trazer mais alguns benefícios além de evitar furos. Na cidade, pneus maiores trarão mais conforto e tração para evitar tombos. Já na estrada, a utilização de pneus 25mm ao invés dos tradicionais 23mm torna a bicicleta mais rápida e confortável com um ganho mínimo de peso e mais proteção contra mordidas de cobra - um investimento que certamente vale a pena ser feito.

Fita anti-furo

Amada por uns, odiada por outros, a fita anti-furo pode ser utilizada para aumentar a proteção. Porém, se mal instalada, a fita fura a câmara e traz mais problemas do que soluções. Assim como camadas extra no pneu, a fita também vai acrescentar peso e resistência a rolagem. Por isso, avalie bem a situação e veja se vale ou não apena utilizá-la. Muitas vezes, um pneu bom, novo e bem calibrado é mais do que o suficiente para não furar.

Selante

Seja com ou sem câmara, o selante pode ser uma solução contra furos menores. Em bicicletas urbanas onde a pressão dos pneus é menor e o volume maior, o selante funciona melhor do que em sua primas de estrada que comumente usam pneus pequenos com pressões mais altas. A combinação torna pneus de estrada mais difíceis de selar e é comum "tomar um banho" de selante quando acontecem furos maiores.

No Brasil onde o asfalto é precário, a utilização de pneus de estrada sem câmara é um pouco mais complicado, já que quinas pontiagudas podem rasgar a lateral do pneu, causando um tipo de rasgo que nenhum selante é capaz de arrumar.

Verifique o estado dos pneus

imagem
Pneus deformados, rasgados ou furados devem ser trocados

Respeite a vida útil dos pneus da sua bicicleta. Verifique o desgaste da banda de rodagem e, se necessário, faça a substituição. Alguns pneus possuem um indicador de desgaste que normalmente consiste em pequenos furos na borracha indicados pela sigla TWI.

Também é importante conferir o estado da borracha. Rachaduras, aparência de ressecado, rasgos, cortes nas laterias ou banda de rodagem "quadrada" também são indicativos de que o pneu deve ser substituído.

Conclusão


Quando o assunto são os furos de pneu, mais vale prevenir do que remediar. Infelizmente, como não é possível livrar-se completamente deles, convém manter na bicicleta uma boa bomba, câmaras reserva, remendos e espátulas para fazer a troca. Tenha certeza que, mais hora menos hora, um furo vai acontecer para você.


Comentários


  • avatar

    lucianolll   

    lucianolll   

    Meu modo infalivel... de evitar furos em pneus é ficar protegido pedalando sempre atras das linhas onde passam pneus de carros,...os pneus dos carros em poucos minutos comem, moem, arredondam e dao fim ao problemas de cacos de vidros.
    3 mes(es) atrás - Denunciar