MENU

De olho nas Olimpíadas, Avancini começa 2021 como número 1 do mundo

Evoluir e manter o posto de primeiro do ranking mundial são objetivos também traçados pelo ciclista para o novo ano

O ano de 2021 começa de forma diferente e cheio de boas perspectivas para Henrique Avancini, campeão do mundo pela equipe Cannondale Factory Racing. Nessa primeira semana do ano, a UCI (União Ciclística Internacional) divulgou o primeiro ranking da temporada, e o brasileiro segue na liderança, com 1.136 pontos. Em segundo está o francês Jordan Sarrou, atual campeão mundial, com 908 pontos, e na terceira posição o suíço Nino Schurter (860 pontos).

Avancini número 1 do mundo
Avancini número 1 do mundo    Michele Mondini

Com a pandemia, as principais provas do mountain bike em todo o mundo foram suspensas no primeiro semestre de 2020. Na segunda parta do ano, houve a retomada de algumas competições, período de grandes realizações para o ciclista brasileiro.

Após um longo período de treinos, Avancini teve importantes conquistas na Europa e venceu em outubro, na República Tcheca, a prova de short track da Copa do Mundo.. Nessa mesma competição, Avancini venceu na sequência, pela primeira vez, uma etapa de XCO (Cross Country Olímpico).

O feito inédito para um atleta brasileiro era um dos objetivos traçados pelo ciclista no início da temporada passada. Com a dupla conquista, o ciclista brasileiro ainda entrou para a história como segundo piloto a conseguir vencer as duas provas de uma mesma etapa da Copa do Mundo de Mountain Bike.

As vitórias alçaram Avancini ao topo do ranking da UCI (União Ciclística Internacional) - foram 13 vitórias nas 18 provas disputadas.

“A temporada passada começou de uma forma muito positiva, com algumas vitórias importantes no começo do ano. Depois, com o intervalo causado pela pandemia, busquei forças para aproveitar as chances de me preparar, de construir uma performance como eu nunca havia construído antes, e usei bem essa chance.

Retornei às competições com dois meses de atraso em relação aos europeus, mas de cara venci minha primeira competição, na República Tcheca. Depois também venci na Polônia, e na sequência teve o começo das provas de Copa do Mundo, onde eu conquistei finalmente a minha primeira vitória no Cross Country Olímpico, combinando uma vitória com o Short Track, o que e é um feito muito mais difícil de ser alcançado”, falou Avancini, que complementou:

“Terminar a temporada na primeira colocação do ranking mundial significou a coroação de toda uma jornada e de sempre buscar a evolução. Mais uma vez venho mostrando que é possível crescer e me desenvolver, e o ranking mundial talvez seja a conquista que eu considere de maior valor, porque entreguei performances consistentes, de nível mais alto possível.

O que eu sempre busco muito, além de conquistar grandes vitórias, é saber e entender como elas foram construídas e conquistadas. E a temporada de 2020 deixa esse ponto bastante claro para mim”.

Avancini número 1 do mundo
Avancini número 1 do mundo    Michele Mondini

Após as disputas internacionais, Avancini retornou ao Brasil com o objetivo de defender o título de campeão nacional. No currículo, ele já somava 15 títulos da maior competição nacional, mas vencer o Campeonato Brasileiro dá o direito de vestir a camisa com a bandeira do Brasil, motivo de orgulho que ele mais uma vez conseguiu conquistar nas provas disputadas em Mairiporã, interior de São Paulo.

Mesmo com todos os problemas da pandemia do Covid-19, as metas traçadas por Avancini para 2020 foram alcançadas. E 2021 começa de forma diferente: a pandemia ainda causa incertezas no calendário de competições, mas iniciar a temporada como atleta número 1 do ranking mundial instiga o ciclista para novos desafios.

“A temporada de 2021 será de novos desafios. Tenho grandes metas e objetivos para o ano, e como sempre busco crescimento. Então é dessa forma que estou trabalhando, continuando e assumindo riscos para minha evolução, e pretendo melhorar.

Sei que é cada vez mais difícil, pela idade, pelo nível esportivo, por vários aspectos... mas eu continuo acreditando que é possível crescer e esse é meu objetivo pessoal para 2021. Além disso, obviamente, o maior desafio são os Jogos Olímpicos.

Também tenho como objetivo terminar o ano novamente na primeira colocação do ranking mundial. Acho que isso demonstraria bem que eu fiz um bom trabalho ao longo de toda temporada.”


Relacionados

Comentários

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.