home

Conhecendo as fábricas de bicicleta em Manaus

Tecnologias usadas por marcas brasileiras não ficam pra trás


28 NOV, 2017     Gustavo Figuereido     13    



Na semana que passou, tivemos a oportunidade de conhecer as fábricas de algumas marcas nacionais de bicicletas localizadas na Zona Franca de Manaus. A convite da Abraciclo, vimos de perto as linhas de produção e todos os processos da Sense, Ox (Ox e Oggi), Houston (e Audax) e Dorel (Caloi, Cannondale, GT, Schwinn e outras). Esta não é nossa primeira visita na capital do Amazonas, já que no ano passado tivemos a chance de acompanhar a inauguração da Fábrica da Sense Bike.

Foto 66028
   Pedro Cury

Entendendo o cenário

A criação da zona franca de Manaus no ano de 1967 foi a maneira encontrada para trazer preservação ambiental, geração de empregos e desenvolvimento para o estado do Amazonas. Para atrair investimentos, o governo concedeu uma série de benefícios fiscais para empresas que cumpram todos os requisitos necessários, de forma que fique atrativo a construção das fábricas.

Para estimular a produção nacional, uma das regras de maior destaque diz que para importar determinados componentes, é preciso ter determinados volumes de produtos nacionais. Com isso, quanto mais produtos nacionais forem produzidos, mais produtos internacionais podem ser importados.

Essa regra é especialmente importante quando falamos de componentes de fibra de carbono, já que este material dificilmente é produzido fora da Ásia e não há qualquer plano para produção nacional em nenhum segmento - todavia, sabemos que trata-se de um material fundamental nas bicicletas atuais de alta gama.

Detalhes interessantes da produção nacional

Diferente do que muitos imaginam, os processos de produção em todas as fábricas são bastante avançados. Segundo os fabricantes instalados no local, não ficamos devendo em nada para a grande maioria das fábricas da Ásia.

Também segundo eles, foi informado que só algumas fábricas asiáticas muito especializadas e que possuem um volume de produção realmente muito grande utilizam máquinas diferentes e mais eficientes, o que permite aumentar o volume sem prejudicar a qualidade final.

Foto 66045
Visita na fábrica da Oggi   Pedro Cury
Foto 66044
Visita na fábrica da Oggi   Pedro Cury
Foto 66043
Visita na fábrica da Sense   Pedro Cury

Aqui no Brasil, por exemplo, todos os quadros de alumínio em todas as fábricas passam pelo processo de solubilização T4 e também de envelhecimento endurecimento T6. Este processo pode ser acompanhado de perto na fábrica da OX, que também produz os quadros da Oggi. Um diferencial nesse processo, foi na Sense, onde existe até um polímero especial para tornar o processo ainda mais eficiente.

Foto 66038
Visita na fábrica da Caloi   Pedro Cury
Foto 66032
Visita na fábrica da Caloi   Pedro Cury
Foto 66031
Visita na fábrica da Caloi   Pedro Cury
Foto 66030
Visita na fábrica da Caloi   Pedro Cury

Além disso, pudemos verificar que alguns possuem quadros já com tubos hidroformados (ou mecanicamente formados) de alumínio, inclusive com até três espessuras diferentes (triple butted).

Já na Caloi pudemos ver alguns funcionários trabalhando em espaços protegidos para evitar acidentes, buscando uma adequação às normas mais avançadas de segurança. Na fábrica da tradicional marca brasileira ainda tivemos presente no "batizado" do MKD Henrique Avancini, célula de produção de bicicletas de alta gama da Dorel, que recebeu este nome para homenagear o atleta.

Foto 66039
Visita na fábrica da Houston e Audax   Pedro Cury
Foto 66034
Visita na fábrica da Houston e Audax   Pedro Cury
Foto 66040
Visita na fábrica da Houston e Audax   Pedro Cury
Foto 66035
Visita na fábrica da Houston e Audax   Pedro Cury

Na fábrica da Houston / Audax, ficamos impressionados com as máquinas que produzem aros e montam as rodas, com o grande destaque ficando por conta do impressionante robô automatizado que faz a soldagem de alguns quadros - um equipamento tão moderno que não foi permitido nem filmar e nem tirar fotos.

Foto 66043
Visita na fábrica da Sense   Pedro Cury
Foto 66042
Visita na fábrica da Sense   Pedro Cury
Foto 66041
Visita na fábrica da Sense   Pedro Cury
Foto 66048
Visita na fábrica da Sense   Pedro Cury

Na fábrica da Sense, tivemos uma grande oportunidade - poder (tentar) soltar um quadro, da mesma forma que os funcionários. Tarefa que se mostrou super difícil e reforçou a importância de mão de obra especializada.

Também vimos o maquinário que faz os testes de resistência. Lá, além de testarem os quadros com o padrão exigidos de 200 mil ciclos, eles colocam como um padrão mínimo interno 400 mil ciclos para garantir a durabilidade. Em alguns experimentos, alguns guidões e quadros chegaram na faixa de 2 milhões de ciclos até apresentar falhas!

Suframa

A Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) é uma Autarquia vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior que administra a Zona Franca de Manaus - ZFM. Durante nossa visita, tivemos uma palestra muito interessante sobre os aspectos e regras para a produção na região.

Foto 66047
   Pedro Cury

Nela, aprendemos que um dos maiores problemas de produzir em Manaus é o transporte dos produtos, bastante dificultado pelo isolamento geográfico da ZFM, mas que já existem soluções para estre problema em vista - inclusive com a passagem dos produtos por outros países.

Para saber mais, acesse o site da Suframa.

Agradecemos a Abraciclo pela oportunidade de deixar-nos conhecer de perto a produção nacional e ficamos felizes em saber que temos marcas com maquinas capazes de fazer bikes que não devem nada para as mais respeitadas marcas internacionais.


Comentários

  • avatar

    Marcelo Gomes   

    Marcelo Gomes   

    O Brasil não produz quadros em Carbono. Todos são importados. No Brasil só são produzidos quadros de aço e alumínio. Vejo que as empresas de Manaus estão com excelentes bikes não devendo nada a nenhuma importada com um preço mais acessível.
    12 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Manoel Messias   

    Manoel Messias   

    Porque os quadros de carbono ainda são tão caros?
    14 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Fabio    São Paulo - SP

    Fabio    São Paulo - SP

    Mas afinal, de todas elas, quais realmente fabricam quadros e quais importam?
    18 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    OGGI BIKES   

    OGGI BIKES   

    Agradecemos pela matéria e pela visita em nossa Fábrica Pedro.

    @JcFiebig
    No caso da OGGI BIKES, as informações estão disponíveis em nosso site. Se mesmo assim ainda tiver dúvidas, por favor entre em contato com nosso SAC pelo 0800 721 0808.

    18 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    MARCOS GORDINHO   

    MARCOS GORDINHO   

    Tenho uma OGGI de entrada que atende bem demais minha necessidade recreativa, faço pedais de até 40km regularmente, o design é sempre elogiado, e o que entrega o perfil de bike de entrada é o amortecedor tosco ZOOM.
    18 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Cassio dourado Aguirre   

    Cassio dourado Aguirre   

    Gostaria de saber se bike de carbono e fabricação tambem hai em Manaus
    18 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Gil   

    Gil   

    Muito bom
    19 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Pedro Cury    Rio de Janeiro - RJ

    Pedro Cury    Rio de Janeiro - RJ

    Olá JcFiebig, que bom que gostou! Nos tentamos cada vez mais trabalhar com as marcas nacionais. Já testamos algumas bikes da Sense e Gonew esse ano, está na nossa seção de testes.
    19 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    JcFiebig    Palmeira das Missões - RS

    JcFiebig    Palmeira das Missões - RS

    Que bacana isso hein!
    Vocês poderiam fazer uma matéria completinha contado sobre cada uma das fábricas, os pontos fortes e fracos de cada marca...
    Comprei esse ano uma Oggi BW 7.3, foi às cegas, porque tem muito pouca informação sobre as bikes Oggi. Na verdade, tem muito pouca informação sobre as bikes de produção nacional, até mesmo reviews de usuários e da mídia especializada.

    19 dias atrás - Denunciar




  • Relacionados