MENU

Como funciona a suspensão da bicicleta

O guia completo sobre suspensões da bike

As suspensões das bicicletas são uns dos itens mais complexos e fascinantes. Até alguns anos atrás era impossível imaginar que teríamos mecanismos leves e eficientes como os de hoje.

Apesar de tudo isso, é um dos itens menos compreendidos da bike e recentemente até fizemos um artigo questionando se vale a pena ter suspensão em alguns tipos de bicicleta.

Já para quem faz mountain biking, especialmente em níveis mais extremos, é um item essencial. Abaixo explicamos todos os detalhes das suspensões da bike.

Índice - Suspensões de Bicicleta

  1. Como funciona a suspensão da bicicleta ?
  2. Diferenças entre suspensões, amortecedores e garfos ?
  3. O que é o curso da suspensão ?
  4. Suspensões Dianteiras para bike
  5. Suspensões Traseiras para bike
  6. Ajustes de suspensões
  7. Suspensão com trava - Como funcionam
  8. Manutenção Básica de suspensões
  9. como limpar suspensao de bicicleta
  10. como lubrificar suspensão de bicicleta
  11. Como escolher a suspensão ideal para você
  12. Perguntas e respostas


Como funciona a suspensão da bicicleta ?

Para facilitar o entendimento, vamos começar com alguns conceitos básicos e aprofundamos mais a frente.

Mola e sua função
Diferente daquela pecinha enrolada de metal, na física, mola é qualquer objeto elástico flexível usado para armazenar energia mecânica. Quando comprimida, ela armazena energia que é liberada quando ela retorna para sua forma original. Ela pode ser feita de metal, borracha, ar ou qualquer outro material que possua elasticidade.

A suspensão dianteira da bicicleta tem um elemento que faz o papel de mola e um elemento amortecedor, que trabalham de forma telescópica, permitindo que a roda movimente-se para cima e para baixo em relação ao quadro da bike.

A mola serve para sustentar o peso apoiado sobre a suspensão, absorver os impactos e voltar para a posição original.

Amortecedor e sua função
A função do amortecedor é controlar a velocidade que a suspensão trabalha, para que seus movimentos mantenham os pneus em contato com o solo sem desestabilizar a bicicleta.

Se o elemento amortecedor for somente a mola, a suspensão trabalharia de forma descontrolada, pois depois de comprimir para absorver um buraco, ela retornaria para a posição inicial de forma bastante abrupta, jogando o ciclista para cima. Seria o mesmo que uma bola de basquete descendo uma escada - nada estável, certo ?

Diferenças entre suspensões, amortecedores e garfos ?

Como funciona suspensão da bike
Como funciona suspensão da bike

Garfo
Na bicicleta, chamamos de garfo, a estrutura que segura a roda dianteira e se conecta com o quadro, Ou seja, toda a bicicleta tem um garfo. Algumas pessoas chamam a suspensão dianteira de "garfo de suspensão", já que ele não deixa de ter a função de um garfo, independente de ser uma suspensão.

Suspensão
Suspensão se refere ao sistema todo que faz a absorção dos impactos. Composto pela estrutura móvel e mecanismo amortecedor.

Para entender melhor, a suspensão traseira da bicicleta envolve a própria construção do quadro, pois os tubos precisam se mover por articulações e pivôs para acionar o amortecedor.

Já a suspensão dianteira tem toda a sua estrutura concentrada no garfo: o amortecedor está integrado internamente nessa estrutura.

Amortecedor
O amortecedor ou damper é o sistema hidráulico que controla o movimento da suspensão. Digamos que você comprima totalmente uma mola. Quando você a solta, ela imediatamente volta para cima com toda a velocidade. Se isso acontecer no garfo de uma bicicleta depois de um buraco, por exemplo, existe a grande chance do pneu dianteiro sair do chão. Esse movimento descontrolado comprometeria o controle da bicicleta.

O amortecedor é um sistema que passa óleo por dentro de buracos, mais ou menos como um seringa. A força necessária para que o óleo passe pelo buraco é o que reduz a velocidade que a suspensão retorna para sua posição original. O mesmo vale para quando ela é comprimida em um grande impacto.

Isso quer dizer que, além da resistência para comprimir a própria mola, uma suspensão ainda pode usar óleo passando por buracos pequenos dentro do amortecedor para evitar que ela seja comprimida muito rapidamente, atingindo assim o fim do curso.

O que é o curso da suspensão ?

O curso da suspensão é a quantidade de movimento que ela pode oferecer. Ou seja, uma suspensão de 100mm pode mover-se até 10cm quando ela atinge um buraco. O curso da suspensão varia de acordo com a aplicação da bicicleta.

Diferentes cursos de suspensão para diferentes modalidades
Diferentes cursos de suspensão para diferentes modalidades

Modelos exclusivamente para descidas como as bikes de downhill podem ter até 200mm de suspensão. Já as de cross-country, que são bikes mais leves, vão de 80mm a 120mm de suspensão - confira mais detalhes das bicicletas para diferentes modalidades de mountain biking neste artigo.

Suspensões Dianteiras para bike

Estrutura e partes da suspensão dianteira

Suspensões dianteiras e suas partes
Suspensões dianteiras e suas partes

Espiga - A espiga é o tubo que liga a mesa da bicicleta com a coroa da suspensão. Ela passa por dentro da caixa de direção e serve para prender o garfo e transmitir os comandos do ciclista no guidão.

Coroa - A coroa une a espiga com as hastes da suspensão. Algumas bicicletas de downhill possuem duas coroas, uma acima e outra abaixo da caixa de direção. Isso serve para que a suspensão torça menos em situações super extremas.

Hastes - As hastes ficam ligadas as coroas e, durante o movimento da suspensão, entram para dentro dentro das canelas em um movimento telescópico.

Canelas - Sustentam o eixo do cubo e permitem que a suspensão movimente-se para cima e para baixo servindo de receptáculo das hastes.

Ponte - Une as duas canelas, o que obriga que os dois lados da suspensão trabalhem de forma sincronizada, evitando torções e movimentos indesejados.

Mola - Pode ser de metal ou pneumática (a ar). Normalmente fica contida dentro da parte esquerda da suspensão. As molas a ar são mais leves e podem ser ajustadas, permitindo que ciclistas com diferentes pesos usem a mesma suspensão com igual eficiência.

As molas metálicas são mais baratas e muitas vezes acompanham suspensões mais simples. Elas pesam mais e possuem uma gama menor de ajuste, mas além de pesarem menos na carteira costumam ter a manutenção um pouco mais simples.

Amortecedor - Trata-se de um sistema hidráulico que controla os movimentos da mola, permitindo que a suspensão mantenha sua estabilidade. Existem muitos tipos de amortecedores, mas o conceito básico é sempre o mesmo: passar óleo por um caminho que restrinja seu fluxo.

Imagine-se tentando apertar uma seringa cheia de água. Se você apertar o êmbolo em baixa velocidade, o fluxo de água será constante. Porém, se você apertar com muita força ou mesmo bater no êmbolo, sua velocidade será limitada pela resistência da água passando pelo orifício de saída - assim funciona um amortecedor.

Em sistemas mais avançados, todas as características de movimentação podem ser reguladas, o que permite fazer um ajuste super preciso da suspensão da bicicleta.

Offset de suspensões dianteiras - O Offset da suspensão, normalmente medido em mm, é a distância que a suspensão posiciona o eixo dianteiro a frente do eixo de rotação do garfo.

O offset, assim como o ângulo da caixa de direção, tem influência direta no trail do conjunto. O trail é a distância entre o ponto de contato do pneu e a linha imaginária que sai da caixa de direção rumo ao solo, no mesmo ângulo da caixa de direção. A maneira mais simples de entender este conceito é observando a imagem abaixo.

Via de regra, quanto menor o offset, maior será o efeito auto-centrante da roda dianteira da bicicleta (exatamente como acontece em um carrinho de supermercado). Por outro lado, quanto maior o offset,

Suspensão à ar

Toda suspensão precisa de uma mola. Porém, esta mola não necessariamente precisa ser feita de metal. Na década de 1990, por exemplo, muitas suspensões utilizavam molas de um material plástico chamado elastômero - a tecnologia caiu em desuso em bicicletas modernas.

Hoje em dia, muitas suspensões mais avançadas possuem molas a ar, que permitem que a pressão seja regulada por uma ou mais válvulas que controlam câmaras de ar que são comprimidas como uma seringa tampada quando a suspensão trabalha.

Com isso, ciclistas de pesos diferentes podem ajustar a suspensão da forma que mais eficiente fazendo um ajuste básico do SAG, que é o tanto que a suspensão afunda apenas com o peso do ciclista sobre a bike e explicamos abaixo.

Além da ajustabilidade, este tipo de suspensão ainda costuma ser mais leve, já que ar pesa menos do que aço.

Qual pressão colocar na suspensão da bicicleta ?
Calibrar a suspensão da bicicleta corretamente é essencial! A grande vantagem desse sistema é poder regular de acordo com o seu peso e estilo de pilotagem.

Foto 77002

Sem calibrar, você vai estar contando com a sorte e se a pressão tiver muito baixa, poderá até mesmo quebrar a suspensão.

As suspensões em geral vem com uma tabelinha impressa no próprio corpo ou no manual. Algumas vezes, essa tabela tem uma faixa de peso do ciclistas e a pressão correspondente a ser colocada.

Porém, outras vezes, o manual indica uma pressão geral e pede para que seja feito o ajuste de SAG que indicaremos mais abaixo.

Suspensão à mola helicoidal

A mola helicoidal, normalmente feita em aço, costuma equipar suspensões mais básicas. Porém, alguns modelos de altíssimo rendimento, principalmente indicadas para Enduro e Downhill, também apostam em molas “enroladas” como as de um carro.

Mola helicoidal
Mola helicoidal

Em suspensões de alto rendimento, a mola tem a vantagem de ser mais macia, tendo grande capacidade de absorver pequenos buracos e ler o terreno com precisão. Em uma mola de ar comprimido, tudo precisa ser muito bem vedado para evitar vazamentos - com isso, o atrito interno da suspensão é maior, e ela perde capacidade de responder em pequenos impactos.

Porém, suspensões mais básicas equipadas com molas não costumam se beneficiar dessa características, já que a própria simplicidade de construção acaba prejudicando o funcionamento suave do garfo.

O ponto negativo das molas helicoidais é seu peso e sua menor capacidade de ajuste. Isso porque, apesar de terem uma regulagem de pré-carga da mola, a amplitude de pesos que aquela mola pode suportar é restrita e se for muito acima ou abaixo, é preciso utilizar outra mola.

Além disso, apertar demais a regulagem de pré-carga também prejudica o funcionamento da suspensão, fazendo com que ela perca justamente sua maior vantagem que é o fato de movimentar-se mesmo quando a força aplicada é bem pequena.

Isso acontece porque, ao utilizar essa regulagem, você deixa a mola levemente comprimida - com isso, a força necessária para que ela comece a se movimentar aumenta - leve em conta que uma mola sem nenhum tipo de compressão vai começar a movimentar-se com qualquer peso aplicado sobre ela.

Suspensão com sistemas alternativos

Existem muitos sistemas alternativos de suspensão para bicicleta, com algumas marcas criando garfos que utilizam braços, pivôs e links para absorver os impactos. Com eles, é possível mudar as configurações de geometria do garfo durante seu movimento, criando o efeito desejado pelo projetista.

Sistema alternativo - Paralelogramos e lâminas de carbono
Sistema alternativo - Paralelogramos e lâminas de carbono

Algumas delas evitam o afundamento da frente da quando quando o freio é a acionado, enquanto outras criam percursos melhores de movimentação, permitindo mais controle da bicicleta em situações adversas.

Por uma questão de custo e complexidade, este tipo de suspensão costuma ter vida curta no mercado. Atualmente, nenhuma grande marca de bicicleta possui modelos equipados com garfos que vão além do tradicional sistema de hastes telescópicas convencionais.

Suspensões Traseiras para bike

A suspensão traseira da bicicleta é um sistema que permite que a roda traseira também tenha a capacidade de absorver impactos e seguir o terreno. Existem muitos tipos de suspensão traseira e, para explicá-los, é preciso criar um artigo só falando nisso, que teremos em breve.

Amortecedor traseiro
Amortecedor traseiro

A suspensão traseira costuma ser controlada por um amortecedor que une em uma única peça a mola e o sistema hidráulico. Este amortecedor, comumente chamado de shock, é acionado por um esquema de links e pivôs na estrutura do quadro que permite o movimento da roda traseira da bike.

Alterando o shock e a configuração de links e pivôs, os fabricantes são capazes de criar suspensões com características de funcionamento distintas, indicadas para as mais diferentes aplicações.

Ajustes de suspensões

Para permitir a adaptação com diferentes ciclistas e terrenos, as suspensões de bicicleta costumam tem uma miríade de regulagens.

Retorno - O retorno (rebound em inglês), é a regulagem que permite controlar a velocidade com que a suspensão retorna da posição comprimida para a estendida. A regulagem costuma ser feita por um botão tipo “dial” com cliques. Girando o botão, é possível fazer com que ela volte mais rápido ou devagar.

A grande maioria das suspensões de nível básico para frente já possuem essa regulagem, já que ela é fundamental para o bom controle da bicicleta. Vale destacar que, ao mudar a configuração da mola (mais pré-carga, mola mais dura ou mais pressão de ar), o retorno acontecerá em maior velocidade - por isso, trata-se de um ajuste básico e extremamente importante.

Compressão - O retorno (rebound em inglês), é uma regulagem que pode ser utilizada para evitar que a suspensão comprima-se muito rapidamente ao atingir um buraco. Diferente da regulagem de retorno, que está presente em quase todas as suspensão que estão além do patamar super simples, o controle de compressão só vai existir em modelos de uma gama um pouco mais avançada.

É importante destacar que o ajuste de compressão é independente da mola. Na verdade, ele faz parte do sistema hidráulico do garfo, reduzindo apenas a velocidade máxima que a suspensão pode ser comprimida ao atingir um buraco.

Algumas suspensões, principalmente no enduro e downhill, podem possuir também ajuste de compressão de alta e/ou baixa velocidade. Isso permite uma regulagem ainda mais detalhada da suspensão.

SAG - O SAG é o quanto uma suspensão comprime-se apenas com o peso do piloto e do equipamento sobre a bike. Ajustar este ponto permite configurar as molas da bicicleta para o seu peso corporal e para sua condição de trilha.

Como ajustar o SAG da suspensão

Para ajustar o SAG, muitas vezes é mais fácil contar com a ajuda de alguém. Para fazer o ajuste, vista seu equipamento de bike e suba na bicicleta sem fazer movimentos bruscos. Usando uma abraçadeira ou o próprio sistema de medição da suspensão, verifique quantos milímetros ela se movimentou.

Algumas suspensões já vem com indicação de porcentagem do curso
Algumas suspensões já vem com indicação de porcentagem do curso

O SAG correto costuma ser indicado pelo fabricante do componente, seja ele um garfo ou um amortecedor traseiro. Via de regra, o recomendado é começar com cerca de 20% de SAG. Isso quer dizer que, ao subir em uma bike de 100mm de curso, a suspensão deve comprimir-se cerca de 2cm.

Para fazer a regulagem, basta adicionar ou retirar ar (ou pressão de mola) do componente. Lembre-se de ler o manual de instruções antes de fazer isso, já que cada componente tem um procedimento diferente para fazer isso - alguns, por exemplo, exigem que você afunde a suspensão algumas vezes para equalizar a pressão na câmara de ar positiva e negativa.

Suspensão com trava - Como funciona

A trava da suspensão, como o nome diz, permite que o ciclista bloqueie parcialmente ou completamente os movimentos da suspensão. A vantagem é que em uma subida ou sprint em que o movimento da suspensão rouba energia do ciclista, a trava elimina ou reduz essa perda.

Trava remota da suspensão pelo guidão
Trava remota da suspensão pelo guidão

Algumas garfos e shock traseiros possuem travas remotas, controladas por uma alavanca no guidão. Já outras possuem um mecanismo de acionamento que no próprio componente. Nos garfos, ela costuma ficar na parte superior.

Manutenção Básica de suspensões

A suspensão é um componente relativamente complexo, que deve ser desmontado apenas por profissionais com experiência. Porém, é extremamente importante fazer manutenções periódicas na suspensão - algumas marcas recomendam uma desmontagem básica a cada 50 horas de uso, por exemplo.

Se você não sabe como fazer isso, não tente desmontar uma suspensão em casa. O risco de causar danos ao componente são realmente altos.

Como limpar suspensão da bicicleta

Não utilize produtos corrosivos, solventes ou jatos de água sob-pressão nas hastes da suspensão de uma bicicleta. Na hora de lavar sua bike, lave também a suspensão, utilizando apenas produtos recomendados para isso.

Não esfregue nada áspero na suspensão e tome um cuidado especial com as hastes para evitar riscos.

Como lubrificar suspensão de bicicleta

A lubrificação da suspensão deve ser feita por profissionais gabaritados e com produtos recomendados pela marca do componentes. O uso de óleo ou outros produtos pode danificar os selamentos de borracha da suspensão, causando danos que podem ser irreparáveis.

Siga rigorosamente a recomendação do fabricante e jamais utilize produtos sem ter a certeza de que eles são compatíveis com o seu garfo. Até porque, muitas vezes o óleo de uma suspensão tem mais de uma função e até sua quantidade deve ser cuidadosamente medida.

Como escolher a suspensão ideal para você

Tipo de uso
A suspensão da bicicleta deve ser escolhida de acordo com o uso que você faz da bike e com seu estilo de pilotagem. Isso quer dizer que, se você costuma pedalar de forma mais tranquila, uma suspensão gigantesca de downhill não é o ideal.

Compatibilidade
Antes de comprar um garfo de suspensão, verifique se ela é compatível com o seu quadro. Confira detalhes como o curso, o espaçamento do eixo dianteiro (pode ser 100mm ou 110mm), o diâmetro da espiga (pode ser reta ou cônica) e também o offset. Este último item é menos crítico, mas alterá-lo vai certamente mudar o comportamento da bike - pode ser para pior ou para melhor.

Muitos ajustes não é necessariamente melhor
As suspensões com muitos ajustes são ótimas para quem sabe o que está fazendo. Caso este não seja o seu caso, invista em uma suspensão mais básica, que tenha apenas o controle de retorno. Acredite: ajustar perfeitamente uma suspensão é um trabalho grande e, com muitas opções, é bem fácil se perder no processo.

Perguntas e respostas

Qual a melhor marca de suspensão ?

Não existe a melhor marca de suspensão, mas sim algumas que oferecem produtos no nível de competição mundial. As mais tradicionais são Fox, Rockshox, Manitou, Marzocchi e X-Fusion. Muitas delas oferecem modelos do básico ao avançado e o importante é usar o modelo mais adequado a você.

Uma suspensão vai melhorar o conforto na bike ?

Depende do que você chama de conforto. Nas bikes urbanas, em muitos casos, o conforto está mais associado ao ajuste da bicicleta como a altura certa do selim e a calibragem correta do pneu. Mas se o trajeto tiver muitos buracos ou passar por estradas de terra, uma suspensão pode ajudar.

Falando em mountain biking, a suspensão vai ajudar a diminuir a fadiga, por absorver os impactos que iriam para o corpo do ciclista.


Relacionados

Comentários



Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.