home

Com saída da Sky, equipe Sky de ciclismo deva acabar no fim de 2019

Depois de mais de 10 anos, Sky e 21st Century Fox encerram suas participações no ciclismo no fim de 2019


12 DEZ, 2018     Gustavo Figueiredo     6    



Ao longo de mais de 10 anos, a equipe Sky de ciclismo tornou-se uma das mais fortes - e controversas - do pelotão, dominando as grandes voltas de forma bastante agressiva. Agora, um anúncio da equipe coloca fim nesta era - no fim de 2019, tanto Sky quanto a 21st Century Fox devem encerrar suas participações no ciclismo, deixando de apoiar o time de Dave Brailsford.

Foto 70483
    ASO / Pauline Ballet

A Sky foi a principal patrocinadora do time desde seu surgimento, apoiando também a equipe nacional da Grã Bretanha ao longo deste período. Ao todo, foram conquistados seis títulos do Tour de France com Bradley Wiggins, Chris Froome e Geraint Thomas, além da Vuelta em 2017 e do Giro em 2018 e mais dezenas de vitórias em clássicas e outras competições.

"Chegamos ao ciclismo com o objetivo de usar o sucesso para inspirar uma maior participação em todos os níveis. Depois de mais de uma década de envolvimento, não poderia estar mais orgulhoso do que conquistamos com o Team Sky e com a British Cycling. Mas, no final de 2019, chega para nós a hora de seguir adiante e abrir um novo capítulo na história da Sky", disse Jeremy Darroch, Chefe Executivo da difusora.

A empresa de transmissões televisas Sky passou por grandes mudanças no ano passado depois que, em dezembro de 2017, a Disney comprou boa parte da 21st Century Fox de Rupert Murdoch, que inclui 39% das ações da Sky. Apesar da partida de seu principal patrocinador, Dave Brailsford acredita poder encontrar outro apoiador de peso até a temporada de 2020. Vale relembrar que Thomas, vencedor do Tour de France 2018, fechou contrato com a equipe até 2021. Além dele, a jovem revelação Egan Bernal tem contrato até 2023.

"Não estamos acabados em nenhum sentido. Ainda temos mais um ano de corridas à nossa frente e faremos de tudo para entregar mais um ano de sucesso para o Team Sky em 2019", afirmou Brailsford, que atualmente está com os atletas em Mallocar para o training camp.

Apesar de vencedora, a equipe já se envolveu em diversas controvérsias como o vazamento de dados médicos que revelaram um uso pouco ético de atestados médicos para a liberação de medicamentos normalmente proibidos, além do famoso caso de um pacote misterioso de medicamentos para a equipe durante o Critérium du Dauphiné - casos envolvendo Bradley Wiggins entre 2011 e 2013.

Além disso, na última temporada, Froome passou o ano sendo julgado por ter sido flagrado com uma concentração acima da permitida do medicamento Salbutamol em sua urina durante um teste de controle realizado na Vuelta 2017 - algo que quase custou sua participação no Tour 2018. Além desses casos, Gianni Moscon foi acusado de racismo contra Kevin Reza no Tour de Romandie em 2017. Ele também teria tentado dar um soco em Ellie Gesbert na etapa 15 do último Tour de France.


Comentários

  • avatar

    Binotto   

    Binotto   

    Estranho. Vai fechar no auge porque, ficou grande e cara demais? Atletas caros demais? Aí tem.
    15 dias atrás - Denunciar


  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Vou deixar meus dois centavos. Eu acho que qualquer esporte que perde um patrocínio tão gigante saiu perdendo. Sim, verdade que a Sky tem um orçamento maior que as outras e isso por vezes tira um pouco o brilho da competição. Mas, em vez de perder a Sky e nivelar a grana por baixo, não seria mais legal criar um cenário com vários patrocinadores de peso competindo entre si, pagando salários gordos para os atletas, com equipamentos de ponta e tudo mais? Eu quero ver o ciclismo virar esporte mundial e pra isso vai precisar de MUITA grana.
    1 mês atrás - Denunciar


  • avatar

    Pedro Luis Schutz   

    Pedro Luis Schutz   

    Vejo com bons olhos a saída do patrocinador. Quando uma equipe recebe aporte financeiro muito maior que outros times, fica sem graça. Sou a favor de banirem rádio também. Equipes menores (6 integrantes) e uma maior quantidade destas aumentaria as disputas fortemente, e com orçamentos parelhos, ficaria muito mais competitivo.
    1 mês atrás - Denunciar


  • avatar

    adrianomtb    Belo Horizonte - MG

    adrianomtb    Belo Horizonte - MG

    Acho que resolveram sair fora antes que um escândalo de doping manche a reputação da empresa.
    1 mês atrás - Denunciar


  • avatar

    am.araujo    São Paulo - SP

    am.araujo    São Paulo - SP

    A Sky é um caso a parte, uma equipe suspeita com orçamento muito superior as outras, quando a esmola é demais, o santo desconfia. Provavelmente avaliaram que o desgaste que a equipe vem sofrendo nos últimos anos poderia afetar a imagem empresa, então resolveram pular fora antes que algo pior aconteça.
    1 mês atrás - Denunciar


  • avatar

    eduardo lucio   

    eduardo lucio   

    Que péssimo! Depois da BMC, depois da crise da Quick Step, mais essa! O ciclismo, cada vez mais praticado e popular, vai perdendo os seus patrocinadores. O modelo tem que mudar, senão não vai haver mais protour
    1 mês atrás - Denunciar




  • Relacionados