MENU

CIMTB 2020 #1 - Araxá - Avancini busca sétimo título consecutivo

Prova é uma das mais tradicionais do País e atleta busca não só defender o seu título, como também se preparar para a Cape Epic

     

Entre os dias 5 e 8 de março ocorrerá a Copa Internacional de Mountain Bike, uma das competições mais tradicionais do MTB na América do Sul disputada tradicionalmente em Araxá, Minas Gerais. O evento terá esse ano mais de 40 modalidades em disputa e na principal prova, a modalidade Cross Country Olímpico (XCO), Henrique Avancini brigará pelo seu sétimo título consecutivo.


Depois de terminar a temporada 2019 na segunda colocação do ranking mundial da UCI (União Ciclística Internacional), Avancini se preparou nos dois primeiros meses do ano para o apertado calendário que terá pela frente. Serão grandes disputas em 2020, como Cape Epic, Copa do Mundo, Mundial XCO, Jogos Olímpicos e Araxá, que ele classifica como uma das competições mais gostosas de se participar por tudo que envolve a prova.

“Araxá é uma prova muito importante dentro do nosso calendário nacional, talvez seja a corrida mais emblemática que temos no Brasil. É uma prova Hors Class, então é a categoria máxima alcançável por uma prova que não seja uma competição da UCI, desta forma ela só fica abaixo da Copa do Mundo e do Campeonato Mundial. Só temos 5 provas no mundo nessa classe e esse é um evento especial eu diria, porque temos uma arena muito legal para competir, a participação dos melhores atletas da América Latina, presença de ciclistas europeus e norte-americanos...então é uma prova com nível muito alto, presença de público muito alto, contato muito próximo, e acho que isso que a torna tão legal”, comentou Avancini, atleta da equipe Cannondale Factory Racing, que na sequência explicou as dificuldades de se competir em Araxá.

“São quatro dias bastante intensos, uma das provas que mais demanda equilíbrio emocional. Uma corrida um pouco mais emotiva, então é difícil para o atleta se manter mais equilibrado, e eu gosto muito de competir em Araxá. Venci nos últimos seis anos desde que a prova se tornou prova por etapas, de múltiplos dias. Tem sempre uma grande ambição de todos atletas e é sempre muito difícil defender o título ali, por enquanto, tenho tido êxito nessa missão”, disse o atleta.

Após competir em Araxá, Henrique Avancini viajará para a África do Sul, onde no final de semana seguinte começará a Cape Epic. Maior prova de ultramaratona do mundo, o atleta disputará a competição mais uma vez com o seu parceiro de equipe, o alemão Manuel Fumic. Ano passado a dupla foi vice-campeã da prova.

Conquistar o primeiro lugar é o objetivo dos dois e, para ter êxito, Avancini enxerga em Araxá uma prova fundamental para sua preparação.

“Nesse ano chego para competir a prova (Araxá) uma semana antes da Cape Epic, que é o grande objetivo desse começo de ano, e espero usar a prova como construção de forma final para Cape Epic. Araxá tem uma importância dupla para mim esse ano, por ser uma prova importantíssima e por ser uma excelente chance de preparação final para Cape Epic”, finalizou o atleta.


Conteúdo Relacionado

Comentários