home

Ciclistas são sabotados com tachinhas nas ruas da USP


16 AGO, 2011     Guiné    
     


Ciclistas que treinam na Cidade Universitária, na zona oeste de São Paulo, relatam que têm sido sabotados há cerca de dois meses com tachinhas colocadas nas ruas.

Segundo os atletas, as tachinhas são colocadas na região da raia olímpica e na praça da Reitoria, locais onde há maior movimento de bicicletas.

imagem

A suspeita é que elas tenham sido jogadas por alunos para furar o pneu das bicicletas. Funcionários do campus falam também em taxistas e motoristas de ônibus, incomodados com o excesso de bicicletas, muitas vezes em alta velocidade - até 45 km/h.

A Coordenadoria do Campus da USP disse que não tinha conhecimento do problema e orienta os atletas a registrarem as queixas na Guarda Universitária para que os casos sejam investigados.

Texto - Folha.com
Foto - Apu Gomes


Crítica

Eu tenho minhas dúvidas em relação ao autor deste crime!
Foi o Presidente da França! Pode ter sido também o Secretário de Esporte dele. Não, foi o Prefeito de Paris. Ou então, algum parlamentar daquele país que vai saudar - honra ao mérito - todos os campeões do Tour de France. Hum... Não, acho que foi o "louco" do prefeito de uma cidade da Lituânia. Aquele mesmo que passou por cima de um carro com um blindado militar. Hi... Será que foi o Prefeito de Copenhague? Ele pedala quase todos os dias para o gabinete e, inclusive, pedalou em São paulo no mês de junho deste ano.

Antes fossem estes citados acima, né? Por que não? Para uma notícia mirabolante como esta, uma resposta criativa para aqueles que merecem um destaque por seus feitos e respeito ao mundo das bicicletas.

É uma pena que nós vivemos no Brasil. Um país que não serve, para quem ama as bicicletas. Ou serve? Só resta-nos, pedalar (rezar). Esta notícia acima desagrada todos, ao ponto de não termos explicações para relatar o fato. E a culpa não é de ninguém. Apenas dos próprios ciclistas que estão lá: atrapalhando o trânsito caótico da cidade. Será que eles atrapalham mesmo? Com certeza este fato não dará em nada. E ponto final.

Esse tipo de ocorrência não acontece só na capital paulista. No nosso fórum temos toda semana um relato de algo "sobrenatural" ou coisa do tipo que impede um ciclista de pedalar; de curtir a vida ou se locomover para tal lugar por uma devida ação - prazer.

Mas nós que amamos as magrelas temos super-poderes. Um dia chegaremos lá, com todas as pedaladas possíveis, sendo assaltados, atropelados por motoristas irresponsáveis, com bicicletas quebradas ou até mesmo com tachinhas grudadas nos pneus. Enfim, estaremos sentados nos selins, com os pés nos pedais e com as mãos grudadas no guidão para o que vier pela frente. Porque quem gosta de pedalar, não desmonta de uma bicicleta por este tipo de coisinhas.


Comentários





COMENTÁRIOS [43]


Relacionados