home

Cebo no Pedal #2 - Limites, limiares e a escolha do primeiro desafio

Cadu Polazzo dá uma aula sobre limiares, definimos nossa primeira competição e levamos o corpo ao máximo


30 JUL, 2018     Gustavo Figueiredo     2    



No primeiro episódio do Cebo no Pedal, você conheceu um pedacinho da história do Cebo, um cara que precisou encontrar um motivo a mais para treinar e montar a boa forma - competir de bike.

Foto 68949
A jornada está apenas começando   Pedro Cury

A jornada começou com um papo com Cadu Polazzo, um dos treinadores mais conceituados do Brasil que coleciona títulos nacionais e internacionais. Caso você não tenha visto, a leitura não é obrigatória mas é super recomendada, já que o texto a seguir é basicamente uma continuação do anterior.

Cebo no Pedal #1 - Quando você fica velho e resolve competir de bicicleta

Se no primeiro papo o Cadu explicou como o treino será adaptado aos meus objetivos, equipamentos e estilo de vida, nesse ele foi mais a fundo na teoria, explicando de forma simples como serão dados nossos próximos passos.

Adequando treino e equipamento

Um dos pontos discutidos com o Cadu foi como adequar os treinos prescritos ao meus equipamentos. Por isso, começamos com o que está disponível:

-Bike de estrada
-Mountain Bike
-Power Meter para estrada
-Rolo de treino convencional
-Computador GPS ANT+
-Cinta cardíaca

Foto 68951
Bike de estrada deve voltar a ativa   FOTOP

Com isso, é perfeitamente possível seguir as planilhas propostas, monitorar meu progresso e condição física. Os treinos com intervalos mais curtos e precisos serão realizados, em sua maioria, no rolo e com o powermeter. Provavelmente alguns serão feitos no asfalto também, sempre com o medidor de potência.

Os treinos de MTB serão monitorados apenas com o GPS e o acompanhamento cardíaco. Até porque, os pedais nas trilhas devem ser os mais longos, onde a potência exata é menos importante. De uma forma ou de outra, a ideia é ter também um medidor de potência para a terra, até para obter dados em competição.

A adaptação dos treinos com e sem medidor de potência será feita da forma que explicaremos a seguir - basicamente utilizando uma tabela comparativa entre potência, frequência e sensação física.

Peças do Quebra-Cabeça

Se preparar para competição é basicamente como montar um quebra-cabeça. Juntando peças como testes, metodologia, objetivos, conhecimento e boa adesão aos treinos é possível criar a imagem desejada desde o primeiro momento - você de cara feia fazendo toda força do mundo e contente com os resultados.

Foto 68952
Faz força, Tio!   Pedro Cury

Duas das peças mais importantes são os testes fisiológicos e o que fazer com as informações trazidas por eles. Para começar a passear pelo mundo do treinamento, o Cadu explicou para gente o que são os limiares fisiológicos do corpo - informação extraída dos testes e fundamental para definir o ritmo de prova e a intensidade de cada um dos minutos de treino que você vai realizar.

Essa informação - e outras muito mais legais que eu não vou escrever porque elas estão no vídeo - você encontra abaixo. Coloquei um resumo mega resumido para quem está com pressa, mas veja o vídeo que vale a pena - dê joinha, curta nosso canal e todas aquelas coisas também ajudam. :)



Resumo - Índices de performance aeróbia

Limiar de Lactato - Freqüência cardíaca entre 65% e 75% da máxima - moderado - exaustão em torno de três horas
Limiar anaeróbico / FTP - Freqüência cardíaca entre 85% e 90% da máxima - difícil - Exaustão em torno de uma hora
Vo2 Max - Freqüência cardíaca máxima - exaustivo - exaustão em torno de seis minutos

Primeiro desafio e encontrando limites

No começo do vídeo falamos que definimos um primeiro desafio: escolhemos a terceira etapa da Copa Internacional de MTB, competição que será realizada em São Paulo nos dias 24 a 26 de agosto, justamente por ser uma competição de XCO. Apesar de não ser meu foco, este tipo de prova ressalta minha maior fraqueza - a falta de explosividade para subidas curtas.

Foto 68948
Primeira prova será na CIMTB em SP   Paulo Prezoto

O objetivo com isso é verificar até que ponto o treinamento pode ajudar um atleta amador a superar seu ponto fraco, já que normalmente acabamos focando em nossos pontos fortes - o fato de ser do lado de casa ajuda bastante. O tempo treinando para a prova será curto, mas ela servirá como base para futuras comparações.

No limite - No vídeo também revelamos um pequeno "teaser" do primeiro teste fisiológico realizado na Care Club, um Ergoespirometrico com lactato que ajudou a entender como meu corpo funciona e serviu de base para os treinos prescritos pelo Cadu. Pra fazer isso foi preciso levar a carcaça ao limite máximo - diversão e sofrimento garantidos!

Os resultados deste teste você confere nos próximos episódios junto com mais informações que eu estou aprendendo aos poucos, sempre com o objetivo de passar um conhecimento legal para vocês!

Gustavo "Cebo" Figueiredo - Strava

Parcerias

Cadu Polazzo - Facebook
Care Clube - Site Oficial
Seppia Geração de Conteúdo - Site Oficial

Dúvidas, observações ou sugestões? Deixe o Cebo no Pedal mais legal usando os comentários abaixo.



Comentários

  • avatar

    Cebo    São Paulo - SP

    Cebo    São Paulo - SP

    Bem-vindo, Sergio! Volte a pedalar sim, com certeza não vai se arrepender. E se seguir as dicas que vamos passar vai pedalar melhor mesmo sem competir! Abraços!

    3 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    Sergio Antônio da Silva    

    Sergio Antônio da Silva    

    Acompanhado sua segunda materia aqui no canal estou empolgado para comprar uma bike não para competir como vc mas para voltar á andar de bicicleta e me sentir bem
    Sergio taxista

    3 mes(es) atrás - Denunciar




  • Relacionados