home

Cebo no Pedal #11 - GP Ravelli #4 - Etapa 2 e avaliação final

Vencida a segunda etapa, confira o que achei da prova como um todo e também como nós nos saímos no geral


1 NOV, 2018     Gustavo Figueiredo    



Depois de encarar a pedreira da primeira etapa da final do GP Ravelli 2018, chamada também de Etapa Rainha, a expectativa pelo segundo dia de competição estava alta. Afinal, seriam mais cerca de 40km e 1500m de subidas acumuladas. Nada de outro planeta, mas certamente algo que poderia se transformar em mais um dia de sofrimento com o calor e as pernas cansadas.

Etapa Rei

"Torça pelo melhor mas prepare-se para o pior" é uma frase que funciona em diversas situações da vida. Por isso, assim como fiz no dia anterior, minha ideia para terminar bem o segundo estágio da final do GP Ravelli 2018 foi a cautela. Larguei acreditando que enfrentaria um cenário semelhante ao dia anterior, só que com menos quilometragem. Nas minhas contas, achei que precisaria de 03:30 para completar o percurso - enganei-me redondamente.

Foto 69888
   SportStock by Rodrigo Barreto

Diferente do sábado, a etapa de domingo foi rápida e explosiva, repleta de estradões com subidas mais roladas e descidas de alta velocidade. Os trechos duros e com grande inclinação estavam presentes, mas todos plenamente pedaláveis até para mim. Apensar disso, a dificuldade em ultrapassar os 160BPM mostrava que o cansaço estava bem presente nas minhas pernas. Durante a prova, me senti fraco a maior parte do tempo, com a velocidade caindo drasticamente em qualquer subida - mesmo assim, terminamos com menos de 02:30, bem menos do que o previsto.

Este erro de avaliação e o excesso de zelo provavelmente nos custaram alguns minutos, mas certamente nada que mudaria nosso desempenho global na competição, muito menos a colocação na classificação da prova.

Etapa 1 no Strava
Etapa 2 no Strava

A prova em vídeo



Resultado final

Na classificação geral, depois de dois dias de competição, eu e o Denis ficamos com a 88 colocação, isso levando em conta que no sábado de manhã apenas 106 ciclistas completaram o percurso, sendo o último deles com o tempo de 06:42 - nossa dupla precisou de longos 05:36 para cruzar a meta, sendo a última das duplas a escapar do corte.

Foto 69886
   SportStock by Rodrigo Barreto

Apesar de não impressionar, vale destacar que os atletas presentes nesta competição, principalmente os dispostos a encarar os dois dias da Pró, estavam bem longe do patamar "peba", sendo que provavelmente eu era um dos mais fracos a alinhar na largada. Além disso, cerca de 1/3 dos ciclistas que largaram no sábado não escapou do corte.

Nosso tempo total foi de 08:08:22, bastante se comparado aos 04:52:34 de Leandro Donizete dos Santos, o mais rápido à completar os dois dias de competição, somando 03:11:44 na Etapa Rainha e 01:40:49 na Etapa Rei.

Avaliação do Cadu Polazzo - Você foi bem

Apesar de não ter andado com os ponteiros nem com os meieiros, o Cadu analisou os dados da competição e concluiu que andei bem. "Sua frequência cardíaca ficou em cerca de 83% da máxima, o que é um valor bem bacana. Atletas normalmente ficam entre 83% e 87%, então sabemos que você ficou em alta intensidade por bastante tempo", explicou ele.

Foto 69887
   SportStock by Rodrigo Barreto

"Estava um dia quente e você conseguiu manter a frequência alta, enviando sangue para a musculatura e para a pele trocar calor com o ambiente. No primeiro dia foram quase cinco horas e quarenta de esforço, com cerca de duas horas e meia no segundo dia, sempre mantendo uma exigência cardíaca muito alta. Uma performance positiva neste sentido", avaliou.

Se nós tivéssemos um medidor de potência teríamos dados mais interessantes



A avaliação do Cadu bate com minha percepção dos dois dias de competição. Apesar de acreditar que até poderia ter forçado um pouco mais, tenho bastante certeza que dificilmente teria condições de andar com uma média de velocidade muito superior.

Avaliação GP Ravelli 2018 #4 - Espirito Santo do Pinhal

Ao meu ver, competir na Pró nos dois dias da final do GP Ravelli é uma boa opção para ciclistas experientes e em boa forma, sendo que as etapas são bem diferentes entre si. Se o primeiro estágio é um verdadeiro desafio de força, determinação e técnica, o segundo é uma prova interessante para quem ainda está com as pernas boas para subir posições na classificação geral sem depender muito da parte técnica - apesar das descidas em alta velocidade.

Para quem já estava muito cansado como eu, o segundo estágio mais curto foi um verdadeiro alento, mas acredito que atletas mais fortes podem ter ficado com um leve gostinho de quero mais.

Foto 69889
   SportStock by Mônica Arruda

Para quem correu na Pró, o percurso do dia 2 percorreu um trecho de single, parte do percurso não percorrida pela categoria Sport.

Apesar de não ter andado na Sport, a pequena diferença no trajeto justifica uma avaliação desta categoria - embora mais superficial. Acredito que trata-se de uma boa prova para o amador que deseja encarar um percurso de estradão com nível técnico básico/intermediário, com descidas de alta velocidade em terreno variado. Para quem ainda não está voando, as subidas devem satisfazer - pena que falta um single pra garantir ainda mais diversão.

No geral, gostei bastante de participar de uma prova organizada pela Ravelli Xtreme, sendo que o desafio físico e técnico foram os pontos de maior destaque, assim como a presença majoritária de ciclistas em boa forma na Pró. Na parte da organização, ambos os dias fluíram sem complicações da largada até a chegada - com direito a diversos mimos como açaí, soverte, aminoácidos e frutas.

Equipamento testado

Durante a prova, tive a oportunidade de dar mais uma pedalada na Sense Impact Race que você conheceu neste teste do Pedal. Como era de se esperar, ela mostrou-se apta ao desafio e a posição incomodou menos do que esperado.

Foto 69890
A Impact Race   Pedro Cury

Além dela ainda completei o teste com a mochila de hidratação Thule Vital 6. No geral, achei ela confortável, embora confesso que tenha estranhado um bocado a perda dos bolsos da camisa, parcialmente substituídos pelos dois bolsos laterias. Confira mais detalhes no Teste com o mochila Thule Vital 6.

Abraços!

Gustavo "Cebo" Figueiredo - Strava

Parcerias

Cadu Polazzo - Facebook
Care Clube - Site Oficial
Seppia Geração de Conteúdo - Site Oficial
GP Ravelli - Site Oficial - Mais informações Etapa Espirito Santo do Pinhal
CIMTB - Site Oficial
Sense Bike - Site Oficial
La Maglia uniformes - Site Oficial
ASW Uniformes - Site oficial
PicStock - Site Oficial - Link para fotos do GP Ravelli Pro e GP Ravelli Sport