MENU

Cannondale Scalpel 2021 chega com sistema de suspensão exclusivo

Nova bike full de XC da Cannondale recebe diversas melhorias, com geometria mais moderna e peso reduzido

A Cannondale apresentou hoje a versão 2021 da Scalpel, sua famigerada bicicleta full-suspension para
XC. A nova versão da bike ganhou uma geometria mais progressiva, deixando sua pilotagem mais capaz e apta à enfrentar trilhas mais técnicas - o modelo será utilizado por Henrique Avancini nas etapas da Copa do Mundo de MTB XC e também em competições mais longas como o Cape Epic.

Foto 75100

Em fevereiro deste, a bike foi flagrada em um vídeo de divulgação da Momentum Health Tankwa Trek 2020 e, já naquela ocasião, muitos comentários foram feitos sobre o novo triângulo traseiro sem pivô, com um chain-stay super fino em sua parte final flexionando para acomodar os movimentos da suspensão traseira.


Geometria e cinemática


Segundo a marca, a cinemática da suspensão ficou muito mais progressiva, que permite que a traseira fique ativa nos primeiros 30% do curso, com a curva endurecendo rapidamente para evitar batidas de fim de curso. O modelo será oferecido em versões com 100 ou 120mm de curso na Scalpel SE.


No tamanho M, a nova geometria tem 435mm, com a caixa ficando em 68 graus e o tubo do selim em 74.5 graus. Juntamente com uma traseira de 436mm, trata-se de uma bike com números comprovadamente eficientes para este tipo de configuração.

Peso do quadro

Hi-Mod - 1910g
Standard Mod - 2060g

Atualização - Erramos! Tínhamos escrito que ela perdeu um pivô! Mas confundimos achando que a versão atual também era 4-bar. Desculpem!!

Confira mais detalhes da bike na nota para a imprensa reproduzida de maneira integral abaixo.

Wilton, Connecticut – quinta-feira, 21 de maio de 2020 – A Cannondale, marca líder da Dorel Industries, Inc. (TSX: DII.B, DII.A), anunciou nesta quinta-feira (21) a mais recente evolução da lendária Scalpel. Com um modelo de suspensão inovador, geometria agressiva e peso-pena, o novo quadro proporciona aos ciclistas tração incomparável, eficiência extraordinária e controle inabalável em cada trecho da montanha. A bike possui desempenho digno para vencer as mais difíceis etapas de Copa do Mundo de mountain bike, entregando, ao mesmo tempo, muita diversão na hora de engolir as trilhas.

Foto 75101

A nova Scalpel é uma das mountain bikes full suspension mais leves do mercado, mas essa nem é a melhor característica da bike. O ponto-chave do seu desempenho extraordinário é a nova suspensão FlexPivot da Cannondale. Incrivelmente durável e flexível, o FlexPivot é uma balança traseira patenteada, construída com o que há de mais avançado em fibra de carbono, formando um pivô Horst-link, mais leve e rígido que rolamentos, sem a necessidade de manutenção. Ele trabalha em perfeita sintonia com o shock traseiro para absorver os impactos do terreno. Isso também permite que a suspensão da bicicleta e a sensação geral do quadro sejam ajustados de forma personalizada, em função do tamanho, com as técnicas de construção Proportional Response da Cannondale. Enquanto outras marcas sacrificam o desempenho para reduzir o peso, a suspensão FlexPivot proporciona ambos os elementos, permitindo uma pedalada ultraleve, com aderência, aceleração e controle extraordinários.

Foto 75102

Com pouco mais de 1.900 gramas, juntamente com o amortecedor, no tamanho M e com carbono High-Mod, a nova Scalpel apresenta um dos mais leves quadros de mountain bike full suspension já produzidos. A traseira da bike, com desvio Ai da Cannondale, fornece folga para pneus grandes de 2,4 pol, enquanto mantém os chainstays curtos para proporcionar tração e agilidade. A geometria progressiva da Scalpel evoluiu ainda mais com um ângulo do tubo dianteiro um grau e meio mais relaxado e com o ângulo do tubo de selim um grau mais íngreme em comparação com o modelo anterior. Isso, em combinação com o deslocamento de 55mm do eixo dianteiro da Lefty, configura a mais recente versão da geometria OutFront da Cannondale, proporcionando aos ciclistas mais estabilidade e confiança quando o ritmo acelera, mas mantendo aquela direção arisca de cross-country.

Para os ciclistas de maratona e para os viciados em alta velocidade, existe a versão Scalpel SE. Ela intensifica a capacidade de trilha da Scalpel, aumentando o curso de 100 mm (dianteira e traseira) para 120 mm (dianteira e traseira), deixando a bike ainda mais slack. A combinação de pneus de 29 polegadas com maior volume e um canote retrátil proporcionam velocidade extraordinária e capacidade abrangente. É a máquina perfeita para ciclistas que preferem uma bicicleta de trilha superleve.

Enquanto a suspensão é a protagonista da configuração da Scalpel, as bicicletas também apresentam o novo Kit STASH da Cannondale. Embutido no tubo inferior da bicicleta, abaixo do suporte de caramanhola, o kit STASH tem tudo o que é necessário para ajustes rápidos nas trilhas, tendo espaço suficiente para uma mini ferramenta Fabric 8 em1, kit de reparo tubeless e CO2.


A partir de junho deste ano, a nova Scalpel estará disponível no Brasil, incialmente, em seis modelos: HM 1, Carbon 2, Carbon 2 feminina, Carbon 3, Carbon 4, além da Scalpel SE 1. Mais modelos serão anunciados em breve. A Scalpel variará nos seguintes tamanhos: P, M, G, GG; e o modelo para mulheres estará disponível em P, M, G. Para obter mais informações sobre a nova Scalpel, acesse www.cannondale.com. Lembre-se também de seguir a Cannondale no Instagram, Facebook, Twitter, e YouTube.

Confira abaixo os preços sugeridos para cada modelo:

Scalpel HM 1 – R$ 72.999,00
Scalpel Carbon 2 – R$ 54.599,00
Scalpel Carbon 2 feminina – R$ 54.599,00
Scalpel Carbon 3 – R$41.599
Scalpel Carbon 4 – R$28.999,00
Scalpel SE 1 – R$ 54.299,00


Conteúdo Relacionado

Comentários

Gente é mais cara que o meu carro um Nissan versa. Kkkkkkk. Sou pobre mesmo. Kkkkkkk

BIKE PERDE PIVÔ TRASEIRO. A Scalpel já não tinha o pivô traseiro desde o modelo anterior. Na verdade agora ela passou a ter um pivô fake.

estão criando bikes de XC quase com geometria de All Montain, em breve vão ter de separar XCO de XCM, pois para XCM essas bikes começam a ficar muito longas e com a frente muito plantada, eu particularmente creio que 69º de angulo de caixa de direção seja meio que o limite para uma de XCM, mas............o lance é o modismo e ter um motivo para fazer a turma migrar para uma bike nova.
O resto das evoluções são fantásticas, o pivô virtual, a rigidez maior no movimento central, a parte de integração de ferramentas e o visual, estão de parabéns.

estão criando bikes de XC quase com geometria de All Montain, em breve vão ter de separar XCO de XCM, pois para XCM essas bikes começam a ficar muito longas e com a frente muito plantada, eu particularmente creio que 69º de angulo de caixa de direção seja meio que o limite para uma de XCM, mas............o lance é o modismo e ter um motivo para fazer a turma migrar para uma bike nova.
O resto das evoluções são fantásticas, o pivô virtual, a rigidez maior no movimento central, a parte de integração de ferramentas e o visual, estão de parabéns.

Melhor comprar uma ferrari

Eu
sou fascinado pelas Bicicletas?