MENU

Associação de ciclistas move ação e justiça proíbe aumento de velocidade em São Paulo

Um dos pontos mais polêmicos da candidatura de João Dória (PSDB) para prefeito de São Paulo foi o aumento de velocidade prometido para as Marginais Pinheiros e Tietê. Durante a campanha com o tema "Acelera São Paulo", o candidato prometeu aumentar a velocidade máxima permitida da via de 70km/h para 90km/h na parte expressa e de 50km/h para 60km/h na local. Nos trechos com pista central, a velocidade seria aumentada de 60m/h para 70km/h.

imagem
[legenda][Marginal Pinheiros, em São Paulo. Foto: /legenda]
Já eleito, o prefeito viu-se forçado a mudar de planos. Depois de analisar melhor os dados, a pista local ficaria com duas velocidades. Na faixa central e esquerda, os carros poderiam circular a 60km/h, sendo a faixa da direita reservada para veículos e carros, com máxima de 50km/h. Mesmo na expressa, a máxima de 90km/h seria permitida apenas em alguns trechos.

A decisão passaria a valer no dia 25 de janeiro. Porém, uma decisão do juiz Luiz Manoel Fonseca Pires da Vara da Fazenda Pública aceitou os argumentos de que a mudança da velocidade provocaria um aumento do número de mortes no trânsito. A ação foi movida pela Ciclocidade (Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo).

Confira a seguir alguns trechos da decisão do Juiz:
"A fiscalização prometida não apresenta imediata conexão com a redução das mortes no trânsito porque não é a violação do limite de velocidade que se impõe, mas o próprio limite que não parece adequado ao local", diz a decisão.

"Ao se ponderar que a redução das velocidades nas marginais integra-se a uma sequência de outros atos dentro de um programa de prevenção a acidentes, o que reforça os precedentes administrativos nesta seara, e por isto não podem ser subitamente superados sob pena de caracterização de um retrocesso social (ii), e ainda ao constatar que não há qualquer prejuízo à Administração Pública ao suspender a alteração drástica da política pública existente, defiro a tutela de urgência e, por conseguinte, determino que se abstenham os réus, ao menos por ora, de aumentar as velocidades máximas das marginais". completou.

Além disso, a ação solicitou a suspensão da mudança e a apresentação de estudos técnicos que justifiquem a revisão dos limites máximos de velocidade, que o Programa “Marginal Segura” seja submetido à efetiva apreciação e discussão no Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, com tempo hábil para respostas e apresentação dos dados técnicos; e que sejam realizadas audiências públicas sobre o tema.

Em nota, a prefeitura afirmou que vai respeitar a liminar mas que pretende recorrer da decisão.


Conteúdo Relacionado

Comentários

Absurdo as Marginais são continuidades das rodovias que chegam em São Paulo
Não são projetadas para pedestres tampouco para ciclistas
Então essa decisão é absurdamente política e arrecadatória MULTAS deve sim retornar aos limites anteriores

Acredito que em marginais deveriam ter ciclovias bem seguras mas acho 90Km/h dentro da cidade é perigoso em qualquer circunstância seja para pedestres ciclistas ou mesmo automóveis. Imagine só um pequeno exemplo. se te quebra um carro e você tiver que sair a pé de lá com a sua família e os carros em 90KM Tipo morte certa.. É lógico que alcool, celular e imprudência agravam, mas dizer que a velocidade mais alta não causa acidentes é também imprudente e terrível. Numa imobilização repentina do trafego vai dizer que a velocidade de alta não vai fazer diferença na parada ou mesmo na seriedade da colisão? Questão de pura física lógica

Ação política. Nas pistas expressas das marginais não devem circular pessoas e ciclistas. É uma via exclusiva para automóveis. Pela geometria e condições de tráfego é razoável permitir a velocidade de 90 km/h. Sou ciclista, mas reconheço que em nosso meio existem muitas pessoas radicais e que poderiam estar ocupando seu tempo em revindicações do real interesse dos ciclistas e não apenas para fazer demagogia.

O aumento da velocidade não vai aumentar acidentes. Bebida ; celular e imprudência é que fazem isto acobtecer