home

Área de Proteção ao Ciclismo de Competição deixa esporte mais seguro no Rio de Janeiro

Junto com Prefeitura, associação criou uma área para treino de alta velocidade. Ciclismo está no entre os esportes mais perigosos do mundo


31 JAN, 2019     Maritza Borges     2    
     


Existem diversas pesquisas que ranqueiam os esportes mais perigosos do mundo. Cada pesquisa ressalta de uma forma, algumas levam em consideração o número de mortes outras o número de praticantes também é levado em conta. O fato é que o ciclismo está sempre presente nessas pesquisas.

Em uma delas, elaborada pelo Centro de Documentação e Informação de Seguros da França, o ciclismo aparece em terceiro lugar, atrás do voo livre e do alpinismo. Outros estudos realizados por sites de esporte, como Rules Of Sport, levou em consideração qual esporte o praticante tem mais risco de morte, e o ciclismo mais uma vez apareceu em terceiro lugar, depois do Base Jumping e da natação. O fato é que o ciclismo está entre os esportes que mais perigosos do mundo.

Foto 70837
   Pedro Cury

No Brasil, as notícias envolvendo mortes de ciclismo são recorrentes. Na última semana, um ônibus atropelou um grupo de ciclistas na Rodovia Bandeirantes, matando três atletas. Porém, o Código de Trânsito Brasileiro prevê que quando não há ciclovia, a circulação de bicicletas deve ocorrer no acostamento ou nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentada da via. Além disso, ciclistas necessitam de uma via de alta velocidade para treino, em uma ciclovia por exemplo, o atleta não pode ultrapassar 20 km/h.

Grandes atletas nacionais perderam a vida durante os treinos. Na rodovia Rio-Santos, Claudio Clarindo morreu em 2016. Na orla de Ipanema, no Rio de Janeiro, Pedro Nikolay morreu depois de ser atropelado por um ônibus em 2013 e foi nesta época que Raphael Pazos, representante da Associação de Triatlo Master do Rio de Janeiro, decidiu mudar a história do esporte na cidade carioca. Ele, junto com outros ciclistas, criaram a Comissão de Segurança no Ciclismo da cidade do Rio de Janeiro (CSCRJ), uma pote entre os atletas e o Governo Municipal. E vinte dia após a morte de Pedro, surgiu a primeira Área de Proteção ao Ciclismo de Competição na cidade do Rio (APCC) no Aterro do Flamengo.

Com 4km fechados das 4h às 5h30 da manhã, os ciclistas tem uma área de 4 km para rodarem em alta velocidade de terça à quinta-feira. A pista é fechada pela Companhia de Engenharia de Trágego do Rio (CET-Rio), com o apoio da Guarda Municipal.

De lá para cá, a ideia da APCC já se espalhou, ganhando outras áreas no Rio de Janeiro e em outras cidades do Brasil. Em um passo a passo, Raphael ensina como fazer uma APCC na sua cidade. Acesse aqui.


Comentários

  • avatar

    paulo   

    paulo   

    Aqui em Salvador/BA, também conseguimos uma área semelhante. Avenida magalhães neto, das 04:00 às 06:00. Grande vitória para os ciclistas.
    4 mes(es) atrás - Denunciar


  • avatar

    jh1991    Belo Horizonte - MG

    jh1991    Belo Horizonte - MG

    Só mudaria a menção ao Cláudio e ao Pedro. Eles foram mortos e não simplesmente morreram.

    Parece pouco mas se mudarmos o foco das mortes denota que os motoristas os mataram, ficando mais pesado pro lado deles. Talvez assim o medo de ser mencionado como assassino nos ajude a ter um pouco mais de segurança.

    5 mes(es) atrás - Denunciar




  • Relacionados