MENU

9 dicas para descer melhor no ciclismo de estrada

Verdade seja dita: raramente corridas de ciclismo de estrada são vencidas na descida. Porém, seja em uma prova ou em um passeio com os amigos, saber descer é fundamental para a sua segurança. Por isso, confira nossas dicas e prepare-se para enfrentar melhor a gravidade com sua estradeira.

1 - Use os drops

Além de reduzir o arrasto aerodinâmico e aumentar a velocidade, andar na parte de baixo do guidão transfere mais peso para o pneu dianteiro, o que ajuda a evitar as incontroláveis escorregadas na frente.

Além disso, a posição mais rebaixada do tronco deixa o centro de gravidade mais baixo, melhorando a estabilidade da magrela. Para completar, você estará na melhor posição para acionar os freios com força em caso de emergência.

imagem
Desça nos drops

2 - Olhe para o lugar certo

Tente olhar mais para a frente na estrada, procurando sempre encontrar obstáculos que possam estar no caminho. Além disso, sempre olhe para onde você quer ir. Isso quer dizer que nunca devemos fixar a visão no gard-rail, para fora da pista, em buracos, etc. Lembre-se: seu corpo tente a ir para onde você está olhando.

3 - Contra-esterço

Nas motos e bikes, contra-esterçar significa empurrar para frente a parte do guidão que está por dentro da curva. Isso quer dizer que, em curvas para a direita, você deve empurrar a mão direita para frente para que a bicicleta ganhe inclinação. Nas curvas para a esquerda, faça o contrário. Isso faz com que a bicicleta deite mais, apertando o raio da curva.

imagem
Empurre a parte de dentro do guidão para deitar a bike

4 - Não fique segurando os freios

Como regra geral, tome cuidado para não ficar segurando os freios por muito tempo, já que isso pode super-aquecer as rodas. Com isso, além do risco de delaminar aros de carbono, o calor ainda pode fazer com que a pressão interna aumente muito, fazendo o pneu explodir. Se a descida for muito inclinada, vale a pena descer devagar para não gerar muito calor.

Outra dica é revesar o acionamento dos manetes, apertando cada por por apenas alguns segundos. Em casos extremos como dias de calor forte ou ciclistas muito pesados, a única solução pode ser parar momentaneamente para as rodas esfriarem.

5 - Fique baixo

Antes de entrar em uma curva, gire o pedal que ficará pelo lado de fora para baixo e apoie seu peso nele. Mantenha o corpo "flutuando" levemente acima do selim e o tronco o mais baixo possível. Nunca apoie o peso sobre o selim, já que isso coloca o centro de gravidade no lugar mais alto da bike.

imagem
Tronco baixo e peso no pedal de fora baixam o centro de gravidade

Entenda o conceito de tangenciar as curvas

Fazer a tangente significa encontrar a linha mais rata o possível dentro de uma curva. Normalmente, isso significa começar aberto, fechar ao máximo, tocar o ponto de tangente e abrir novamente. Porém, isso é apenas uma regra básica, já que diferentes curvas ou sequencia de curvas terão pontos diferentes de tangenciamento.

Inclusive, é bastante comum "sacrificar" a saída de uma curva para estar no local correto para fazer a próxima.

imagem
Alguns exemplos de tangentes

6 - Entenda os freios da sua bicicleta

Na estrada raramente fazemos frenagens fortes, o que leva muitos ciclistas não saberem como a bike se comporta nesta situação. Por isso, treine um pouco para entender quanta pressão você pode aplicar no freio traseiro antes que a roda trave e, acima de tudo, quanta pressão você pode aplicar no freio dianteiro sem que a bicicleta capote para frente.

Lembre-se que, além de mesas longas, o guidão de uma bicicleta de estrada também joga o peso ainda mais para frente. Com a massa concentrada a frente do eixo dianteiro, o risco de capotamento é elevado nas estradeiras.

Lembre-se também de tomar muito cuidado com o acionamento dos freios durante a curva. Ao apertá-los, a tendência é que a bike fique "em pé" e passe treto. Isso para não falar no risco de escorregar e cair.

7 - Entre "no flow"

Assim como nas trilhas, encontrar o ritmo da descida aumenta e muito a segurança. Por isso, procure uma velocidade que não seja muito elevada e tente integrar-se com a estrada, fazendo movimentos suaves, freando com tranquilidade e contornando as curvas de forma relaxada.

8 - Descidas desconhecidas

Se você não conhece a estrada, desça com prudência máxima. Além disso, convém sempre atrasar a entrada das curvas. Isso é extremamente válido para evitar o risco das curvas de raio decrescente encontradas em muitas estradas mal projetadas do Brasil.

Este tipo de curva começa mais aberta e fecha no final, sendo um grande risco para qualquer veículo. Isso porque, se você buscar a tangente cedo demais, fatalmente estará na parte interna quando a curva fechar. Com isso, as chances de passar reto aumentam muito.

imagem
Cuidado com curvas de raio decrescente

9 - Chuva

Pneus finos, alta pressão e piso escorregadio são a receita certa para o desastre. Por isso, ande devagar na chuva. Tome muito cuidado com faixas pintadas no asfalto, tampas de bueiro ou outras superfícies que escorregam quando molhadas. Lembre-se também que a distância de frenagem aumenta bastante.

Em estradas que estão constantemente molhadas, o limo tende a se acumular nas beiradas, tornando tudo ainda mais perigoso.

Se tiver mais alguma dica, compartilhe com a gente nos comentários abaixo!



Relacionados

Comentários

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.