MENU

9 de Julho 2016 - A prova do ponto de vista de um amador

     

Não adianta. Todas as vezes que o despertador toca 5 horas da madrugada eu só sinto vontade de virar para o outro lado e dormir, ainda mais quando é sábado e está um frio de lascar lá fora. Porém, no último sábado, dia 9 de Julho, acordei para participar de um momento de importância histórica para o ciclismo nacional.

imagem
Momentos antes da largada. Foto: Ivan Storti / Confederação Paulista de Ciclismo



Em seu segundo ano de retorno às ruas de São Paulo, a prova ciclística 9 de Julho novamente passaria a receber atletas amadores - algo que não aconteceu ano passado. Ao todo, cerca de 1500 ciclistas de todas os níveis alinharam para a largada na Av. Lineu de Paula Machado.

De quebra, ainda teria uma boa oportunidade de conseguir algumas boas imagens para um teste que estamos realizando com a Atrio Full Sport Cam 2.0 aqui no Pedal.com.br.

Depois de me arrumar e comer bem, sai de casa e fui pedalando até o local da largada que deveria acontecer as 06:45 em frente ao Jockey Club. Chegando, me deparei com mar de bicicletas que iam da clássica italiana de dezenas de milhares de reais ao modelo mais básico de passeio. Lá, ciclistas de todos os tipos tinham o mesmo objetivo: pedalar pelo circuito de 28km montando nas ruas de São Paulo.

A bem da verdade, a largada atrasou bastante e deu até pra bater um bom papo com o pessoal que estava ao redor. Porém, no segundo que o tempo começou a contar, tudo o que se ouviu foi o som de milhares de bicicletas rodando ao mesmo tempo. Afinal, em uma prova tão curta, a velocidade é máxima do começo ao fim e fica bem complicado falar nesta situação.

imagem
Daniel Conti, o vencedor na aspirantes. Foto: Ivan Storti / Confederação Paulista de Ciclismo


Logo notei que os buracos e obstáculos no percurso, duas preocupações minhas antes da prova, não seriam um grande problema, já que em diversos pontos pude perceber adaptações para a prova como as coberturas nos ralos transversais dentro dos tuneis.

Como não cheguei muito cedo, larguei lá do fundão e por boa parte do tempo fui ultrapassando os ciclistas mais lentos. Quando as ultrapassagens começaram a rarear, indicando que já estava chegando nos grupos mais velozes, fui alcançado por um grande pelotão que havia se formado atrás de mim.

A partir deste momento, as coisas realmente começaram a parecer com uma prova de ciclismo. Ao longo de meia volta, deu para brincar de puxar o bloco, voltar para o fundo e segurar alguns ataques - diversão garantida e sem dinheiro de volta, já que a inscrição era gratuita.

Obviamente cheguei bem longe do vencedor e preferi não inventar um "sprinte valendo nada", o que poderia facilmente resultar em um acidente. De uma forma ou de outra, a organização estão de parabéns e a prova foi diversão do começo ao fim.

A única ressalva fica pelo percurso curto de apenas 28km, o que me deixou com gostinho de "quero mais". Com duas voltas, o ritmo seria mais lento e a prova mais cadenciada. Que tal fazer Aspirantes A com duas voltas e Aspirantes B com só uma, organização?

Alguns trechos da prova




     


Comentários

Tinha que ter algo assim aqui no Rio de Janeiro, temos tantos lugares como Grumari e Serra da Grota Funda. Notei que é a 70ª edição, estão de parabéns!!!